Ontem enviei R$ 4.365,86 para a minha corretora nos EUA, a DriveWealth.

Chegaram lá USD 1.023,02 Trumps.

Sim, o dólar está bem alto. Mas não tem jeito.

Minha estratégia de investimentos envolve investir nos ativos que estão “mais para trás” na carteira, então preciso aumentar minha posição nas terras do tio Sam.

Com a grana, me tornei acionista de duas empresas que já queria comprar há tempos… Amazon e Apple.

O racional por trás destas duas empresas é bem simples: sou consumidor das duas, trabalho no varejo e sei exatamente o potencial de crescimento que as duas ainda tem (especialmente a Amazon). Possuo praticamente todos os aparelhos da Apple, sou fã da marca há anos.

Estas compras também funcionam como um pouco de proteção (hedge), tendo em vista que possuo alguns REITs de lojas de varejo americanas concorrentes. Como pode perceber, gosto bastante do varejo (mas sempre mantenho dentro das minhas metas de participação da carteira).

Foram 2 ações da AAPL a USD 263,85 cada (Total de USD 527,70);

E 0,3 ações da AMZN a USD 1.747,62 (Total de USD 523,29).

Caso você não saiba, é possível “fracionar” ações americanas, através do app da Drivewealth, chamado de Beanstox. Essa é uma dica bacana pra quem não conseguir fechar a unidade de uma ação, e não quer deixar a grana parada na corretora.

Sendo assim, aportei USD 1.050,99 (tinha um trocado lá na corretora, fruto de rendimento dos meus REITs).

Estou feliz com minha estratégia.
Hoje tenho cerca de 12% do meu patrimônio fora do Brasil, ainda estou longe da minha meta de 24%. Ainda assim, vou aportar um pouco mais amanhã no mercado brasileiro, aumentando minha posição em alguns Fundos Imobiliários importantes para minha estratégia.

Portanto, esse é o registro, amanhã publico as compras na bolsa brasileira.

Grande abraço.