Aportes de Novembro – Parte II – MXRFII e Transportadora FEROLI (P2P)

Olá pessoal.

Como de praxe, reinvesti alguns dividendos em MXRF11 e também em P2P, na Transportadora FEROLI.

Para quem não conhece o empréstimo peer to peer, dá uma lida aqui.

Em MXRF11 foram 8 cotas de R$ 11,22, perfazendo um total de R$ 89,76.

Enquanto na Transportadora FEROLI foram R$ 380,08 para comprar uma cota de R$ 500 (a diferença estava no saldo da plataforma).

Com o tempo, aprendi que o grande segredo é aportar sempre.

Não adianta querer ganhar mais, ter uma melhor renda, se você não replicar esse ganho em seus aportes e no acúmulo patrimonial. No fim das contas, o que conta é o patrimônio acumulado e a renda gerada passivamente… Não adianta olhar pra trás e ver bons salários, se você não traduzir isso em um bom patrimônio.

Pensem nisso.

16 comentários em “Aportes de Novembro – Parte II – MXRFII e Transportadora FEROLI (P2P)

  1. Fala Stark tudo bem? Não tem segredo para acumular patrimônio, o jeito é ter uma boa renda e aportar pensando no longo prazo. Vejo que todo mundo compra esse MXRF11 com o troco da corretora, no dia que me sobrar vou comprar também kkkk. Vejo que está sempre aportando nesse peer to peer, eu não me convenci de aportar nisso rs. abçs

    1. Não tenho muito dinheiro em p2p, cerca de R$2.500 em cinco ou seis empresas mais ou menos. É um ativo de risco. Se entrar, tem que entender isso.
      Gosto de um pouco de adrenalina controlada hehe. Graças a Deus, até o momento, só me deu alegrias.
      Grande abraço, valeu pela visita.

  2. Fala Stark! Tenho MXRF11 também, mas não vou entrar na próxima subscrição pois ele chegou no teto percentual máximo de meu patrimônio (1%). O fundo até agora está bem legal, com gordos dividendos, mas a gestão de risco fala mais alto rsrs

    Abraço e sucesso!

    1. Fala André VL! Beleza?
      Ainda não chegou no teto por aqui, por isso sigo comprando com os trocados do mês hehe.
      Não vou entrar na subscrição também. Só tenho usado mesmo pra reinvestir parte dos dividendos. Tenho outros ativos “mais pra trás” na carteira, que precisam de atenção (mas que não possuem cotas tão baixas, como o MXRF11 e que possam ser comprados com o “troco” do mês.
      Abraço e valeu pela visita!

  3. Fala Stark, tudo bem?
    Há um tempo atrás eu fiz o cadastro no Iouu e a rentabilidade é bem alta e o risco também.
    Você já tem algum tempo esse tipo de investimento, teve algum problema? E, como faz para declarar este lucro pro Leão?

    Abraços e parabéns pelo Blog

  4. Acumulador, tudo bem? Conheci a plataforma do IOUU através de você. Você só faz investimentos por ela ou por outras plataformas peer to peer? Pesquisei no Reclame Aqui e encontrei poucas reclamações. Quando o tomador do empréstimo não paga, o IOUU lava as mãos ou corre atrás pelos investidores ou cada investidor tem que se virar para cobrar a dívida?

    Você disse que o IR vem retido na fonte. Mas na hora da declaração, é como se fosse a segunda fonte de renda? Como você declara no ano seguinte? Ou apenas na aba empréstimo concedido?

    É algo que pensei em aportar com risco controlado. Pouquíssimo dinheiro da carteira.

    Concordo plenamente com você sobre a importância do aporte. No último podcast do SRIF365, o entrevistado dá mais relevância para a rentabilidade, o que não concordo pois envolve muito mais risco. E nós, como holders e com pensamento a longo prazo, para alcançar a independência financeira, precisamos ser mais conservadores para não colocar tudo a perder.

    Seu blog está na minha blogroll em http://www.menteinvestidora.org

    Sucesso!

    Abraço.

    1. Olá MI.
      Eu só uso a plataforma iouu atualmente.
      Me cadastrei em outras plataformas, mas achei a iouu mais completa em relação ao detalhamento das empresas e ao crivo de aceitação das mesmas. Tenho gostado bastante.
      Quando o tomador não paga, a plataforma tem um corpo jurídico e de cobrança e eles correm “atrás” do prejuízo, sempre explicando o status da cobrança para nós. Só me aconteceu de atrasarem parcelas, o que eu gosto bastante, já que recebo com multa e juros (bem acima do mercado de investimentos). Nunca aconteceu de eu perder o investimento, pois procuro estudar um pouco os fundamentos da empresa, o patrimônio dos sócios, etc.
      Na própria plataforma tem informações sobre a declaração de IR, te recomendo dar uma olhada lá. No ano passado, o IR não era recolhido, então a declaração mudou, não saberei te explicar aqui. Vou procurar saber melhor quando for declarar no início do ano que vem.
      Eu gosto de aportar em P2P, mas evito deixar que ultrapasse 1% do meu patrimônio. Hoje passou um pouco, mas sempre tento segurar e aportar em outras coisas, quando vejo que aportei demais.
      O aporte é tudo! Você está coberto de razão. Vou te colocar na blogroll também.
      Mais uma vez, obrigado pela visita.

    1. Não.
      Os empréstimos peer-to-peer tem uma participação limitada no meu portfolio, neste momento está no limite.
      Dei uma olhada na empresa, e eu não entraria por ter classificação D.
      Até o momento, só aportei em empresas com scores B e C, no máximo.
      É um filtro que criei para me proteger um pouco melhor.
      E sempre procuro investir, no máximo, R$ 500 por empresa.
      Um abraço! Obrigado pela visita.

      1. Pois é, Acumulador Compulsivo. Também fiquei receoso. A classificação era D. Prefiro ter rentabilidade menor com um rating maior. Conseguir um A deve ser difícil, mas aceitar, no máximo C e aplicando pouco, pois não conhecemos a fundo quem é o tomador do empréstimo.

        Obrigado pelos esclarecimentos.

        Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo